Secovis lançam estudo sobre o perfil de serviços imobiliários

  • 20 de março de 2015

O Perfil Nacional Comércio e Serviços Imobiliários foi lançado, esta semana, na Câmara dos Deputados e sistematiza dados socioeconômicos do país, a fim de gerar indicadores específicos relativos ao comércio e aos serviços imobiliários  que, juntos, compõem o segmento final da cadeia produtiva da habitação. Na publicação são aplicadas pesquisas para identificar como as entidades representativas têm se organizado e, cada vez mais, oferecido serviços especializados para condomínios e empresas.

O vice- presidente do Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF), Ovídio Maia, esteve no lançamento do estudo. “Este é mais um excelente trabalho desenvolvido dentro da Câmara Brasileira de Comércio e Serviços Imobiliários (CBCSI), da qual temos o privilegio de participar”, afirmou.

 

A primeira parte do livro traça um cenário nacional, a partir de informações como números de regiões e municípios, densidade demográfica e Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), dados populacionais e por domicílios. O estudo traz números do setor imobiliário referentes a condomínios e empresas imobiliárias, incluindo a geração de empregos e de encargos e salários, indicadores econômicos como o volume de financiamentos imobiliários liberados, a inadimplência do crédito imobiliário, o grau de endividamento da população com o setor e tributos. No capítulo, Brasil e o Mundo, é abordado o déficit habitacional, o crédito imobiliário versus o PIB nacional e de outros países e a proporção de imóveis alugados.

O livro apresenta, também, os principais produtos e serviços desenvolvidos e oferecidos pelos Secovis de todo o país, como: parecer de imóveis, capacitação profissional, orientação jurídica e microcrédito.

A pesquisa mostra que a maioria dos domicílios brasileiros é de imóveis quitados ou em aquisição, representando 73,5% do total. Porém, o mercado de locação ainda é forte nas regiões Centro-Oeste e Sudeste, onde tal condição de ocupação é superior à média nacional.

Além disso, mais de 88% dos brasileiros ainda vivem em casas e apenas 10% em apartamentos. Nas atividades imobiliárias de imóveis próprios, intermediação na compra, venda e aluguel de imóveis e gestão e administração de propriedade imobiliária estão enquadradas 94.923 empresas, que geram mais de R$ 5,5 bilhões em salários e encargos sociais ao ano.

O Perfil Nacional é resultado de esforços conjuntos dos Sindicatos da Habitação de todo o país, entre eles: AL, BA, Blumenau (SC), Criciúma (SC), DF, ES, Florianópolis (SC), GO, MT, MS, MG, SC-Oeste, PB, PR, RN, RS, Balneário Camboriú (SC), SP, TO, Uberlândia (MG). Também integram o grupo: a Associação Brasileira das Administradoras de Imóveis (ABADI), a Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo (AABIC-SP), a Associação dos Administradores de Imóveis do Ceará (AADIC) e a Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios (AABIC).

A publicação conta com dados do Banco Central, da Confederação Nacional do Comércio (CNC), da Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ), dos ministérios da Fazenda e do Trabalho e Emprego, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), da Fundação João Pinheiro, da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (ABECIP). A realização é do Secovi/Rio.

Baixe o estudo

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

SECOVI/DF ALERTA SOBRE O GOLPE DO FALSO ALUGUEL

Imagem: Freepik O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF), vem a público fazer um alerta sobre o golpe do falso aluguel que algumas imobiliárias…

Bairro Jóquei Clube: Iphan promete agilidade no exame de aspectos técnicos do projeto

Foto – Divulgação ADEMI DF O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) dará celeridade à apreciação de aspectos técnicos…

CLDF dará prioridade à tramitação do PPCUB

Foto: Nina Quintana O presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), deputado distrital Wellington Luiz (MDB-DF), dará prioridade à discussão…

MERCADO IMOBILIÁRIO DO DF MOVIMENTOU 17,35 BILHÕES EM 2023

O Boletim de Conjuntura Imobiliária divulgado pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) apurou que o segmento de revenda (mercado secundário) movimentou R$ 17,35…