SECOVI/DF DIVULGA LEVANTAMENTO IMOBILIÁRIO DE 2013

  • 4 de julho de 2014

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) divulga o levantamento do  mercado imobiliário no ano de 2013. O Boletim Imobiliário Anual faz uma exposição do cenário macroeconômico mundial  para subsidiar um melhor entendimento do contexto imobiliário do país e do Distrito Federal.

No ano passado, as economias do mundo retomaram, de forma geral, o crescimento. A China e a retomada da economia dos Estados Unidos, que obteve um crescimento de 4,1% anualizado no terceiro trimestre, superou  as expectativas do mercado. Esse crescimento nos dois países é relevante, pois são os principais parceiros comerciais do Brasil e, segundo dados da Divisão de Inteligência Comercial do Ministério das Relações Exteriores (MRE), são o destino de 28% de toda a exportação brasileira.

 

O cenário econômico brasileiro sofreu algumas instabilidades em 2013. As constantes reduções nas expectativas da taxa de crescimento, durante o ano, refletiram a desconfiança do mercado em relação ao Brasil. A União Europeia, por meio do relatório de projeções, reduziu a previsão inicial de crescimento brasileiro para o ano de 2013, que era de 3%  para 2,2%. Dessa forma, a expectativa para o Brasil ficou abaixo da projeção da média esperada para os países latino-americanos, de 2,6%, porém maior que economias como México e Rússia com 1,3% e 1,9%, respectivamente.

No Distrito Federal, segundo estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população do DF em 2013 era de 2.789.761 habitantes distribuídos em uma área de 5779,999 km2.

Vale ressaltar, que a oferta de imóveis no Distrito Federal possui uma peculiaridade associada ao tombamento de Brasília como Patrimônio Cultural da Humanidade, que implica na restrição de oferta nas zonas centrais. Tal fato ocasiona uma alta nos preços dessas localidades, incorrendo em um constante fluxo populacional em direção às regiões periféricas, onde o preço dos imóveis é mais acessível.

Em 2013, destaque para a região administrativa de Samambaia, que teve um crescimento acelerado devido ao lançamento de diversos empreendimentos na cidade, a preços acessíveis, o que gerou uma significativa mobilidade populacional para a região. O valor mediano do m2 de apartamentos de um dormitório na cidade foi de R$ 4.202,00, as salas comerciais também fecharam o ano com o valor de R$ 6.855, o m2.

A maior rentabilidade acumulada no período de janeiro a dezembro de 2013 foi verificada em Águas Claras para apartamentos de 1 dormitório de 5,32%, seguida por Brasília e Guará com 3,89% e 3,81%, respectivamente.

Para finalizar, o Índice Secovi de comercialização criado com o intuito de refletir, mês a mês, o comportamento geral dos preços de imóveis ofertados em Brasília, fechou o ano de 2013 com  alta de 4,809%.

Confira a íntegra da pesquisa!!!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

VOLUME GERAL DE VENDAS ATÉ ABRIL DE 2022 SUPERA 2021 EM 9,5 BI

O Boletim de Conjuntura Imobiliária, referente ao mês de abril, divulgado pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF), informa que em 2022 o Volume…

REGIÕES DO DF TÊM VALORES DIFERENCIADOS DO METRO QUADRADO PARA IMÓVEIS USADOS

O Boletim de Conjuntura Imobiliária, referente ao mês de fevereiro, divulgado pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) aponta que um apartamento de 1…

FEVEREIRO REGISTRA RECORDE DE 3.8 BILHÕES EM VENDAS DE IMÓVEIS

Em 2022, o Volume Geral de Vendas (VGV) de imóveis acumulado até o mês de fevereiro, no Distrito Federal, atingiu o valor de R$ 7,03…

SECOVI/DF CELEBRA POSSE DA NOVA DIRETORIA

O Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais do Distrito Federal (SECOVI/DF) promoveu um almoço de confraternização para…