Pacote habitacional vai gerar 2,4 milhões de empregos até o fim de 2010

  • 24 de junho de 2009

Medidas de incentivo visam construir um milhão de moradias populares.
É prevista, ainda, a criação de 1,1 milhão de empregos em 2011.

A Caixa Econômica Federal, principal responsável por implementar o novo pacote habitacional do governo, estimou a criação de 2,4 milhões de empregos até o fim do mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ou seja, até o encerramento de 2010. 

A instituição lembrou que, do investimento total de R$ 60 bilhões previstos na construção de um milhão de moradias populares, R$ 34 bilhões são subsídios. 

“A estimativa é que esses recursos gerem cerca de 800 mil novos empregos em 2009, 1,6 milhão de novos postos de trabalho em 2010 e 1,1 milhão em 2011”, informou a Caixa.  

Segundo a presidente da instituição financeira, Maria Fernanda Ramos Coelho, esses empregos criados também representam famílias em condições de adquirirem as moradias.  

“Esse processo se retroalimenta, ou seja, gera novos empregos e novas demandas”, disse ela. Recentemente, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, estimou que o pacote habitacional resultará em um impulso de dois pontos percentuais para o PIB durante seu período de implementação.

Investimentos

A Caixa informou que, dos investimentos totais de R$ 60 bilhões previstos, sendo R$ 34 bilhões subsidiados, R$ 20,5 bilhões virão da União e R$ 7,5 bilhões do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Somente para as famílias com renda de até três salários, o aporte financeiro será de R$ 16 bilhões, informou.

Para o grupo que está na faixa salarial entre três e seis salários mínimos, haverá cerca de R$ 10 bilhões de subsídios, sendo R$ 2,5 bilhões recursos da União e R$ 7,5 bilhões do FGTS. As famílias com renda mensal de três a dez salários mínimos, contarão com o benefício do Fundo Garantidor e também da isenção do pagamento dos prêmios de seguro.

Fonte: G1

 

 

{backbutton}

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

CLDF dará prioridade à tramitação do PPCUB

Foto: Nina Quintana O presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), deputado distrital Wellington Luiz (MDB-DF), dará prioridade à discussão…

MERCADO IMOBILIÁRIO DO DF MOVIMENTOU 17,35 BILHÕES EM 2023

O Boletim de Conjuntura Imobiliária divulgado pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) apurou que o segmento de revenda (mercado secundário) movimentou R$ 17,35…

PPCUB É APROVADO APÓS 11 ANOS DE DEBATE

O PPCUB - Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília - principal instrumento de política urbana de Brasília, tombado nas instâncias distrital e federal…

SECOVI/DF participou do lançamento do Balcão Único e da sanção da Lei de parcelamento do solo

Da esquerda para a direita: Ovídio Maia, presidente do SECOVI/DF; Marcelo Vaz, Secretário de Habitação (SEDUH) e José Aparecido - presidente…