Metro quadrado no DF atinge maior valor dos últimos 2 anos e meio

  • 26 de janeiro de 2017

Com preço médio de R$ 8.403, a capital federal tem o metro quadrado mais caro do país. Confira o mapa das regiões mais caras

O preço do metro em Brasília não para de crescer e atingiu, no quarto trimestre de 2016, o maior valor dos últimos dois anos e meio, chegando a custar R$ 8.403. Em comparação com o mesmo período de 2015, a valorização foi de 6,13%.

O ranking das localidades mais caras do DF é liderado pelo Park Sul, na região do Guará, onde se cobra R$ 9.613 pelo metro quadrado. Depois vêm Sudoeste (R$ 9.523/m²); Asa Sul (R$ 8.817/m²); Asa Norte (R$ 8.769/m²); e Lago Norte (R$ 6.333/m²). O levantamento é da pesquisa “Dados do Mercado Imobiliário”, da empresa VivaReal.

No Brasil, o valor médio do metro quadrado ficou em R$ 4.846. O aumento em todo o país foi de 1% se comparado ao mesmo período de 2015. Brasília lidera a lista nacional. A capital é seguida por Rio de Janeiro (R$ 7.391,00/m²); São Paulo (R$ 6.829,00/m²); e Recife (R$ 6.097,00/m²).
O economista Tito Moreira acredita que o aumento no valor dos imóveis no DF tem a ver com a estabilidade que o serviço público oferece aos concursados, que somam boa parte da população da capital. “Em Brasília, é grande o número de funcionários públicos. Dessa forma, existe uma estabilidade e também melhores salários. Isso reflete no mercado, com os donos de imóveis passando a cobrar mais caro”, explica.

Com relação ao quarto trimestre de 2015, os bairros brasilienses com maiores valorizações para venda foram Lago Sul (23,4%) e Lago Norte (8,4%). Mas nem todo o DF teve aumento no preço dos imóveis. As desvalorizações mais expressivas foram registradas na Asa Norte (-2,6%), Sudoeste (-1,7%), Park Way (-1,6%) e Asa Sul (-1,4%).

Devido à desvalorização de alguns locais e a queda da taxa de juros, o presidente do Sindicato da Habitação do Distrito Federal (Secovi/DF), Hiran David, acredita que este é o melhor momento para investir em imóveis. “Se eu tivesse uma poupança aplicada aguardando o melhor momento para adquirir imóvel, seria agora”, diz.

Aluguel

No que se refere ao aluguel de imóveis, se comparado ao quarto trimestre de 2015, o único bairro da capital federal com valorizaçãono último trimestre de 2016 foi o Lago Sul (10,9%). Já os mais desvalorizados foram Lago Norte (-8,2%), Asa Sul (-5,6%), Sudoeste (-2,5%) e Asa Norte (-0,8%).

Cerca de 33,3% dos consumidores brasilienses buscaram na internet por compras de imóveis no período analisado e 66,7% mostraram interesse em alugar alguma casa ou apartamento. Os imóveis com valores acima de R$ 1 milhão (35,99%) e entre R$ 501 mil e R$ 1 milhão (34,11%) foram os mais procurados pelos potenciais compradores, enquanto 17,22% da população optaram por imóveis de R$ 171 a R$ 350 mil.

Fonte: Bruno Medeiros – Metrópoles

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REGIÕES DO DF TÊM VALORES DIFERENCIADOS DO METRO QUADRADO PARA IMÓVEIS USADOS

O Boletim de Conjuntura Imobiliária, referente ao mês de fevereiro, divulgado pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) aponta que um apartamento de 1…

FEVEREIRO REGISTRA RECORDE DE 3.8 BILHÕES EM VENDAS DE IMÓVEIS

Em 2022, o Volume Geral de Vendas (VGV) de imóveis acumulado até o mês de fevereiro, no Distrito Federal, atingiu o valor de R$ 7,03…

SECOVI/DF CELEBRA POSSE DA NOVA DIRETORIA

O Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais do Distrito Federal (SECOVI/DF) promoveu um almoço de confraternização para…

VENDA DE IMÓVEIS EM JANEIRO DE 2022 DOBRA EM RELAÇÃO À 2021

O Volume Geral de Vendas (VGV) acumulado até o mês de janeiro, no Distrito Federal, atingiu o valor de R $3,16 bilhões, superando o mês…