INFORME JURÍDICO: CONDÔMINOS DEVEM PERMITIR REALIZAÇÃO DE SERVIÇOS NA TUBULAÇÃO DE GÁS

  • 18 de março de 2016

A 4ª Vara Cível de Taguatinga deferiu pedido de “tutela de evidência” que permite o ingresso no apartamento para a realização dos serviços necessários , ou seja,  dois moradores devem  autorizar  vistoria no sistema de tubulação de gás do apartamento e, se necessário, a sua substituição. O ato deve ser acompanhado pelo síndico ou representante da administração, no prazo de 24h a contar da ciência da decisão pelos réus, sob pena de multa de R$ 5 mil por dia de descumprimento, limitados a R$ 20 mil.

Segundo o Condomínio, autor da ação,  a construtora responsável pela edificação do prédio está realizando trabalhos preventivos, incluindo serviços de substituição da tubulação de gás por material mais resistente, tanto nas unidades exclusivas como na parte comum do condomínio. Tal medida, visa garantir a segurança dos moradores e do empreendimento. Os réus, moradores de uma das unidades do condomínio, negam-se a autorizar a obra e, em especial, a permitir ingresso de funcionários da empresa responsável pelo serviço no imóvel.

O juiz entendeu que, no contexto dos autos, havia a possibilidade da ocorrência de um acidente com vazamento de gás nas tubulações, cujas consequências são imprevisíveis.

Nos autos, foi trazido ainda um regulamento do Condomínio que estabelece “que cada condômino ou proprietário de unidade autônoma, independentemente das obrigações estabelecidas na convenção, obriga-se, dentre outras medidas, a permitir ao síndico e/ou administradora e seus prepostos o ingresso em sua unidade autônoma, quando isto se torne indispensável à inspeção ou realização de trabalhos necessários à manutenção ou reparo de partes comum e/ou das unidades”.

Por fim, antes de decidir pelo deferimento da medida de evidência, o juiz relembrou que ao final do processo, na eventualidade da improcedência do pedido da parte autora, é possível o processo de reversão com a reparação de eventuais prejuízos suportados pelos réus. Os moradores, inclusive, já são autores de um processo contra o Condomínio, em que formulam pedido de obrigação de fazer cumulada com danos morais, para restabelecer o ramal de fluxo de gás para o apartamento.
Com informações da Assessoria Jurídica – SECOVI/DF

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

CLDF dará prioridade à tramitação do PPCUB

Foto: Nina Quintana O presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), deputado distrital Wellington Luiz (MDB-DF), dará prioridade à discussão…

MERCADO IMOBILIÁRIO DO DF MOVIMENTOU 17,35 BILHÕES EM 2023

O Boletim de Conjuntura Imobiliária divulgado pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) apurou que o segmento de revenda (mercado secundário) movimentou R$ 17,35…

PPCUB É APROVADO APÓS 11 ANOS DE DEBATE

O PPCUB - Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília - principal instrumento de política urbana de Brasília, tombado nas instâncias distrital e federal…

SECOVI/DF participou do lançamento do Balcão Único e da sanção da Lei de parcelamento do solo

Da esquerda para a direita: Ovídio Maia, presidente do SECOVI/DF; Marcelo Vaz, Secretário de Habitação (SEDUH) e José Aparecido - presidente…