Índice que reajusta aluguel tem deflação de 0,52% na 1ª prévia de maio

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) caiu 0,52% na primeira leitura de maio, praticamente a mesma queda de igual período de abril, que foi de 0,53%, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV), nesta segunda-feira.

Entre os componentes do IGP-M, o Índice de Preços por Atacado (IPA) teve baixa de 0,78% na abertura deste mês, depois de cair 0,94% na leitura inicial do mês passado.

O IPA agrícola acelerou a retração, para 0,32% na primeira prévia de maio, ante baixa de 0,16% na primeira de abril. Já o IPA industrial recuou em ritmo menor, em 0,93% ante 1,19%.

As principais quedas individuais de preços no atacado foram de laranja, ovos, adubos e fertilizantes compostos, mandioca e mamão.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) teve alta de 0,15% na abertura de maio, abaixo do avanço anterior de 0,42%.

Os custos do grupo Alimentação voltaram a cair, em 0,35%, após subirem 0,68% na primeira prévia de abril. Já os preços de Saúde e cuidados pessoais e Despesas diversas aceleraram a alta, refletindo, respectivamente, reajuste de remédios e cigarros.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) caiu 0,36%, ante variação negativa anterior de 0,08%.

As principais quedas individuais de preços na construção foram de vergalhões e arames de aço ao carbono, cimento portland comum, tubos e conexões de ferro e aço, metais para instalações hidráulicas e tijolo/telha cerâmica.

Fonte: Reuters

 

{backbutton}

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

EMPRESÁRIO DO RAMO IMOBILIÁRIO VENHA CONHECER O SEU SINDICATO

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal - SECOVI/DF - representa as empresas de compra e venda de imóveis, as imobiliárias, as administradoras de imóveis,…

SECOVI/MG convida para Missão Empresarial em Dubai

O Sindicato da Habitação de Minas Gerais (SECOVI/MG) convida os profissionais do mercado imobiliário e de incorporação brasileiro para uma missão empresarial nos Emirados Árabes…

Comissão de Corretagem deve ser paga mesmo sem o recebimento de sinal

A 5ª Turma Cível do TJDFT determinou que a comissão de corretagem pelo serviço de intermediação imobiliária é devida pelo vendedor que, sem justificativa plausível…

Alerta: Cuidado com as startups de venda e locação de imóveis

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) alerta sobre os serviços oferecidos por startups de venda e locação de imóveis, as chamadas imobiliárias virtuais.…