IGP-M fica em 0,04% na segunda prévia do mês

  • 23 de outubro de 2009

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) ficou em 0,04% na segunda leitura de outubro.

O resultado é inferior ao apurado no mesmo período do mês anterior, quando a variação havia sido de 0,41%.

Os dados foram divulgados pela Fundação Getulio Vargas (FGV). A segunda prévia do IGP-M de outubro compreende o intervalo entre os dias 21 de setembro e 10 de outubro.

O IGP-M, usado como referência para reajustes de contratos de aluguel, é formado pela variação do Índice de Preços por Atacado (IPA), do Índice de Preços ao onsumidor (IPC) e do Índice Nacional de Custo da Construção (INCC).

A queda no Índice de Preços por Atacado (IPA) entre os dois períodos de coleta influenciou a taxa global. Neste levantamento, o IPA ficou em 0,02% ante alta e 0,55% na apuração anterior. A maior contribuição para o movimento partiu dos alimentos in natura, cuja taxa passou de 5,93% para -7,28%. Também houve redução na taxa dos materiais e componentes para a manufatura (de 1,45% para 0,00%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) também ficou menor de um mês para o outro, tendo passado de 0,25% para 0,03%. O grupo alimentação influenciou o esultado (de 0,61% para -0,96%).

Os outros seis grupos que formam o IPC tiveram alta. São eles: vestuário (de -0,68% para 0,74%), habitação (de 0,24% para 0,56%), transportes (de 0,09% para ,40%), educação, leitura e recreação (de -0,06% para 0,19%), saúde e cuidados pessoais (de 0,05% para 0,18%) e despesas diversas (de 0,35% para 0,41%).

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) passou de -0,04% para 0,13%. A elevação foi puxada pelos preços dos materiais, equipamentos e serviços, que everteram a queda de 0,13% no mês anterior e tiveram alta de 0,17% nesta apuração. O custo da mão de obra passou de 0,05% para 0,09%.

Fonte – Agência Brasil –

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

CLDF dará prioridade à tramitação do PPCUB

Foto: Nina Quintana O presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), deputado distrital Wellington Luiz (MDB-DF), dará prioridade à discussão…

MERCADO IMOBILIÁRIO DO DF MOVIMENTOU 17,35 BILHÕES EM 2023

O Boletim de Conjuntura Imobiliária divulgado pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) apurou que o segmento de revenda (mercado secundário) movimentou R$ 17,35…

PPCUB É APROVADO APÓS 11 ANOS DE DEBATE

O PPCUB - Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília - principal instrumento de política urbana de Brasília, tombado nas instâncias distrital e federal…

SECOVI/DF participou do lançamento do Balcão Único e da sanção da Lei de parcelamento do solo

Da esquerda para a direita: Ovídio Maia, presidente do SECOVI/DF; Marcelo Vaz, Secretário de Habitação (SEDUH) e José Aparecido - presidente…