Habite-se, pelo amor de Deus!

  • 20 de novembro de 2015

Por Cláudio Sampaio – presidente da Associação Brasiliense dos Advogados do Mercado Imobiliário

O Decreto Distrital nº 19.915/98, em seu artigo 8º, dá ao Distrito Federal um prazo de até 8 dias para aprovar um projeto, de 2 dias para emitir um alvará de construção, de 5 dias para realizar a vistoria de um empreendimento e de 2 dias para expedir a carta de Habite-se. Infelizmente, o excesso de burocracia tem extrapolado todos esses prazos!!!

Dados comprovam haver, atualmente, no Distrito Federal quase 10.000 unidades imobiliárias concluídas, desocupadas e vistoriadas pelo Corpo de Bombeiros e pelas concessionárias de serviços públicos. Porém, encontram-se longe de serem entregues aos adquirentes, por falta de habite-se.

Vale esclarecer que mesmo após o habite-se, eventuais imperfeições em obras poderão aparecer e serem resolvidas judicialmente, por ação dos interessados.

Precisamos não afastar mais tantas famílias do sonho da moradia, direito previsto no artigo 6º, caput, da Carta Magna, pois, indubitavelmente, obras prontas (e seguras) acarretam o direito – líquido e certo – às suas cartas de habite-se.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

SECOVIs apresentam ao Congresso a “Agenda Legislativa” do setor imobiliário

Deputado Rafael Prudente (MDB/DF), Ovídio Maia - presidente do SECOVI/DF e Eduardo Pereira - vice-presidente Financeiro do SECOVI/DF O Sindicato da…

SECOVI/DF ALERTA SOBRE O GOLPE DO FALSO ALUGUEL

Imagem: Freepik O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF), vem a público fazer um alerta sobre o golpe do falso aluguel que algumas imobiliárias…

Bairro Jóquei Clube: Iphan promete agilidade no exame de aspectos técnicos do projeto

Foto – Divulgação ADEMI DF O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) dará celeridade à apreciação de aspectos técnicos…

CLDF dará prioridade à tramitação do PPCUB

Foto: Nina Quintana O presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), deputado distrital Wellington Luiz (MDB-DF), dará prioridade à discussão…