ESTABILIDADE NO MERCADO IMOBILIÁRIO DO DF

O Boletim de Conjuntura Imobiliária do mês de janeiro, divulgado pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF), demonstrou a estabilidade econômica vivida no mercado com queda do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e manutenção da taxa Selic em 11% a.a. O grande destaque foi o INCC (Índice Nacional da Construção Civil), que terminou o ano variando 0,11% no mês, mas alcançou alta de 0,89% no primeiro mês de 2012. 
As operações de crédito continuaram em expansão com acréscimo de 2,28% e a participação do crédito no Produto Interno Bruto (PIB) alcançou um novo recorde ao atingir a marca de 49,1%. 
Brasília se destacou, novamente, apresentando os maiores valores em casas e apartamentos pesquisados variando de 235 mil uma quitinete até 2 milhões de reais para uma casa de 4 ou mais dormitórios no Lago Sul. Águas Claras, Cruzeiro e Guará seguiram a mesma tendência.

Em relação à oferta de imóveis comerciais, Taguatinga apareceu com o maior valor em lojas, em torno de 600 mil reais, enquanto o Setor de Indústria se destacou no segmento de salas comerciais com um valor de 430 mil.
O mercado locatício de Brasília figurou na amostra como a localidade com maior valor de aluguel variando de mil reais para quitinetes até 10 mil para casas de 4 ou mais dormitórios. Asa Sul, Asa Norte e Sudoeste apresentaram valores de aluguéis semelhantes. 
No segmento de imóveis comerciais, Águas Claras apresentou o maior valor de aluguel de lojas, de 5 mil reais. Brasília se destacou no mercado de salas comerciais para locação, acompanhada pelo Setor de Indústria com valores em torno de 1.800 reais.
Nas séries históricas apresentadas pelo Boletim aonde é feito um comparativo dos últimos seis meses de variações no mercado. O Guará apresentou resultados positivos em relação a comercialização de quitinetes e apartamentos de 2 ou 3 dormitórios. Águas Claras seguiu a mesma tendência para imóveis de 2 e 3 quartos. Em Brasília, os apartamentos de 3 dormitórios permaneceram praticamente estáveis, enquanto os de 2 dormitórios fecharam o mês em alta. Já o preço das casas de 3 dormitórios se estabilizou. 
 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

SECOVI/DF é favorável à moradias no Setor Comercial Sul

O Projeto de Lei Complementar que autoriza o uso residencial em imóveis comerciais localizados, nas quadras de 1 a 6, do Setor Comercial Sul, foi…

SECOVI/DF distribui máscaras de proteção às empresas associadas

As empresas associadas ao Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) estão recebendo, gratuitamente, máscaras de proteção contra a Covid-19 para seus funcionários e colaboradores.…

Entrevista concedida pelo presidente do SECOVI/DF, Ovídio Maia

Entrevista concedida pelo presidente do SECOVI/DF, Ovídio Maia, ao DF Record sobre a alta dos aluguéis residenciais e a baixa no preço dos imóveis comerciais.…

SECOVI/DF condena reprovação de novo bairro pelo Iphan