Entidades do setor imobiliário debatem novas formas de financiamento habitacional

  • 25 de novembro de 2016

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) e outras entidades do setor imobiliário de Brasília estiveram, esta semana, na Caixa Econômica Federal (CEF) para debater sobre as novas formas de financiamento habitacional.

Desde abril, a CEF tem disponibilizado juros mais baixos, aumento do limite de financiamento e crédito para quem deseja investir no mercado de imóveis ou adquirir a casa própria.

Segundo o vice-presidente do SECOVI/DF, Ovídio Maia, as medidas de financiamento divulgadas pela Caixa visam fomentar o mercado da habitação e alavancar o setor da construção civil no país.

De acordo com o vice-presidente de Habitação da Caixa, Nelson de Souza, a Estatal detém hoje cerca de 66,7% dos recursos habitacionais do país e trabalha para aumentar esses valores. “No início do ano tínhamos R$ 67 bilhões e conseguimos aumentar para R$ 93 bi. Deste total temos ainda R$ 26 bilhões disponíveis para serem aplicados no setor de imóveis até o fim do ano”, comentou.

No pacote de medidas anunciado pela Caixa estão a diminuição da taxa de juros em 0,25 pontos percentuais, aumento de 80 para 90% no limite de crédito para clientes que optarem por conta salário e a elevação do teto de financiamento de R$ 1,5 milhão para R$ 3 milhões.

Durante o encontro foram anunciados os novos lançamentos do programa Minha Casa Minha Vida. “O programa já entregou mais de 3 milhões das 4,5 milhões de unidades contratadas. Para o próximo ano a Faixa I do MCMV já está com orçamento garantido para 100 mil unidades”, informou  o vice-presidente de Habitação da Caixa.

Estiveram presentes no evento, além do vice-presidente do SECOVI/DF, Ovídio Maia; o presidente do CRECI/DF, Hermes Alcântara; Allan Guerra, presidente da Associação dos Notários e Registradores (ANOREG/DF); Adalberto Valadão, vice-presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC); Jorge Gutierrez, diretor da Diretoria Imobiliária da Companhia de Desenvolvimento Habitacional (CODHAB); Luiz Carlos Botelho, presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil (SINDUSCON/DF); Paulo Muniz, presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI/DF).

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REGIÕES DO DF TÊM VALORES DIFERENCIADOS DO METRO QUADRADO PARA IMÓVEIS USADOS

O Boletim de Conjuntura Imobiliária, referente ao mês de fevereiro, divulgado pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) aponta que um apartamento de 1…

FEVEREIRO REGISTRA RECORDE DE 3.8 BILHÕES EM VENDAS DE IMÓVEIS

Em 2022, o Volume Geral de Vendas (VGV) de imóveis acumulado até o mês de fevereiro, no Distrito Federal, atingiu o valor de R$ 7,03…

SECOVI/DF CELEBRA POSSE DA NOVA DIRETORIA

O Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais do Distrito Federal (SECOVI/DF) promoveu um almoço de confraternização para…

VENDA DE IMÓVEIS EM JANEIRO DE 2022 DOBRA EM RELAÇÃO À 2021

O Volume Geral de Vendas (VGV) acumulado até o mês de janeiro, no Distrito Federal, atingiu o valor de R $3,16 bilhões, superando o mês…