Crise não atinge o mercado imobiliário de luxo

Uma pesquisa nacional feita com mais de 3 milhões de anúncios de imóveis para compra e locação em diversas cidades brasileiras apontou que a procura por imóveis de luxo cresceu no Brasil.

O estudo revela que a crise econômica não atingiu esse nicho de mercado, pois os imóveis de alto padrão continuam sendo procurados pelos  consumidores. A pesquisa analisou os imóveis acima de 1 milhão de reais.

De acordo com o estudo, no 3o trimestre de 2015 a demanda por esse tipo de imóvel no Distrito Federal cresceu 32%, quando comparado com o mesmo período de 2014.

Para o Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) isso acontece porque as transações financeiras feitas com imóveis de alto padrão não dependem tanto do financiamento imobiliário. “Apesar da diminuição do crédito, os interessados em adquirir esse tipo de imóvel podem pagar grande parte do valor negociado à vista”, explica o vice-presidente do SECOVI/DF, Ovídio Maia.

A pesquisa aponta que Fortaleza foi a capital que apresentou o maior procura por imóveis nessa faixa de preço de 92%, seguida por Curitiba com 70%, Porto Alegre com 67%, Florianópolis 62% e Goiânia de 58%.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Mercado Imobiliário do DF supera 15 bilhões em venda de imóveis em 2021

O Boletim de Conjuntura Imobiliária divulgado pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) informa com base nos dados do Sistema Integral de Gestão Governamental…

SECOVI/DF SE REÚNE COM O SESC PARA FIRMAR PARCERIAS 

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) se reuniu essa semana com o diretor regional do SESC/DF, Valcides de Araújo Silva, para firmar parcerias…

NÚMEROS DO MERCADO IMOBILIÁRIO SUPERAM O ANO DE 2020

O Boletim de Conjuntura Imobiliária divulgado pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) com dados de agosto/2021 demonstra que o mercado imobiliário segue em…

FINANCIAMENTOS IMOBILIÁRIOS CHEGAM A QUASE 20 BI DE REAIS EM JULHO

A quantidade de financiamentos imobiliários, em julho de 2021, apresentou uma surpreendente variação positiva de 180,45% em relação ao mesmo período do ano passado, chegando…