Câmara de Serviços Imobiliários faz balanço de 2015

A Câmara Brasileira de Comércio e Serviços Imobiliários (CBCSI) fechou o ciclo de debates do ano fazendo uma análise do contrato de Corretor Associado e os índices nacionais que registraram aumento na oferta de aluguéis para locação e venda de imóveis em todo o país. A CBCSI também fez previsões do mercado imobiliário para 2016, em vista da atual situação político-econômica do país.

A advogada do Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF), Fernanda Gadelha, apontou a baixa quantidade de registros de contratos de corretores associados e alguns dos motivos foram as taxas de adesão e contribuição sindical. Para reverter o quadro, Fernanda afirmou ser “necessária mudança de postura”, ao comentar a Lei do Corretor Associado (n° 13.097/15), pela qual os corretores poderão se associar a imobiliárias, mantendo sua autonomia profissional sem que seja configurado qualquer vínculo, inclusive empregatício ou previdenciário.

O vice-presidente do SECOVI/DF, Ovídio Maia, comentou sobre a inscrição dos corretores de imóveis como Microempreendedor Individual, o MEI.  “Acreditamos que o MEI é a solução para o enquadramento da categoria, pois através dele cada um poderá emitir a nota fiscal de sua parte na venda”, afirmou.

Com informações da CNC

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

SECOVI/DF é favorável à moradias no Setor Comercial Sul

O Projeto de Lei Complementar que autoriza o uso residencial em imóveis comerciais localizados, nas quadras de 1 a 6, do Setor Comercial Sul, foi…

SECOVI/DF distribui máscaras de proteção às empresas associadas

As empresas associadas ao Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) estão recebendo, gratuitamente, máscaras de proteção contra a Covid-19 para seus funcionários e colaboradores.…

Entrevista concedida pelo presidente do SECOVI/DF, Ovídio Maia

Entrevista concedida pelo presidente do SECOVI/DF, Ovídio Maia, ao DF Record sobre a alta dos aluguéis residenciais e a baixa no preço dos imóveis comerciais.…

SECOVI/DF condena reprovação de novo bairro pelo Iphan