Caesb é condenada por conta exorbitante

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) informa que 1º Juizado Especial da Fazenda Pública do DF condenou a Companhia de Saneamento Ambiental (Caesb) devido a uma conta de água contestada por um usuário.

A fatura objeto da ação era de R$1.609,92, enquanto a média paga pelo autor era de R$136. O consumidor ajuizou ação contra a empresa, pedindo que ela não suspendesse o fornecimento de água em sua residência, reduzisse a fatura de consumo de água referente a setembro de 2015 e lhe pagasse indenização por danos morais.

A juíza analisou o caso com base no Código de Defesa do Consumidor, que no artigo 6º, inciso VIII, possibilita ao magistrado inverter o ônus da prova, estabelecidas certas condições.

A CAESB não demonstrou qualquer circunstância que evidenciasse o excessivo valor da fatura e não foi constatada qualquer irregularidade, vazamento ou outra causa que justificasse a cobrança.

Portanto, o 1º Juizado Especial da Fazenda Pública do DF determinou que a Caesb revisasse a fatura e emitisse nova conta no valor de R$136, no prazo de 15 dias, sob pena de multa diária de R$ 200, até o limite de R$ 2 mil. Quanto aos danos morais, a juíza entendeu que o caso não evidenciou lesão a direito de personalidade do autor, inclusive porque não houve suspensão de fornecimento de água em sua residência. Cabe recurso da sentença.

Com informações do TJDFT

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

SECOVI/DF é favorável à moradias no Setor Comercial Sul

O Projeto de Lei Complementar que autoriza o uso residencial em imóveis comerciais localizados, nas quadras de 1 a 6, do Setor Comercial Sul, foi…

SECOVI/DF distribui máscaras de proteção às empresas associadas

As empresas associadas ao Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) estão recebendo, gratuitamente, máscaras de proteção contra a Covid-19 para seus funcionários e colaboradores.…

Entrevista concedida pelo presidente do SECOVI/DF, Ovídio Maia

Entrevista concedida pelo presidente do SECOVI/DF, Ovídio Maia, ao DF Record sobre a alta dos aluguéis residenciais e a baixa no preço dos imóveis comerciais.…

SECOVI/DF condena reprovação de novo bairro pelo Iphan