BOLETIM IMOBILIÁRIO MOSTRA VALORIZAÇÃO DO MERCADO

  • 24 de abril de 2015

No revés do cenário nacional, o Índice Imobiliário de Comercialização de imóveis do Distrito Federal, referente ao mês de março, apresentou valorização e acumula alta de 2% no ano.

Segundo o presidente do Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF), Carlos Hiram Bentes David, a valorização do índice é fruto da diminuição da oferta que trouxe equilíbrio aos estoques e a uma

demanda composta por compradores ávidos por segurança. “Um bom indício para os investidores e alento para o setor”, afirmou.

O Boletim de Conjuntura Imobiliária, do mês analisado, comprovou a rentabilidade dos imóveis residenciais, observando que os maiores índices concentraram-se na região de Águas Claras, com exceção para a categoria quitinetes, onde o Guará obteve o maior índice, de 0,52%. Em relação à rentabilidade de imóveis comerciais, destaque para a região de Taguatinga, que obteve a maior rentabilidade na categoria lojas, de 0,76%. Na categoria salas comerciais, a maior rentabilidade foi registrada em Águas Claras, de 0,58%.

No mês de março, a participação de imóveis residenciais para comercialização representou 92,9% da amostra e os imóveis comerciais, 7,1%. Assim como nos últimos meses, os preços mais altos foram observados na cidade de Brasília, em qualquer perfil de imóvel analisado. O maior preço mediano registrado continua sendo o de casas com 4 dormitórios no Lago Sul, atingindo o valor de, aproximadamente, 2 milhões de reais.

Entretanto, os valores medianos mais baixos foram encontrados em apartamentos de 1 dormitório em Sobradinho, de R$ 110 mil e em casas com 2 dormitórios no Paranoá de R$ 135 mil. Quanto aos imóveis comerciais, os maiores valores foram verificados no Setor de Indústria e Abastecimento e em Brasília, variando de acordo com o perfil do imóvel.

Em relação ao mercado de aluguéis, a amostra entre imóveis residenciais e comerciais, foi de 71,2% para o primeiro perfil e de 28,8%, para o segundo. A maior participação continuou sendo de quitinetes com a proporção de 17,05% da amostra. No mês de referência foram analisados 45.424 imóveis para locação.

Baixe o boletim

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REGIÕES DO DF TÊM VALORES DIFERENCIADOS DO METRO QUADRADO PARA IMÓVEIS USADOS

O Boletim de Conjuntura Imobiliária, referente ao mês de fevereiro, divulgado pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) aponta que um apartamento de 1…

FEVEREIRO REGISTRA RECORDE DE 3.8 BILHÕES EM VENDAS DE IMÓVEIS

Em 2022, o Volume Geral de Vendas (VGV) de imóveis acumulado até o mês de fevereiro, no Distrito Federal, atingiu o valor de R$ 7,03…

SECOVI/DF CELEBRA POSSE DA NOVA DIRETORIA

O Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais do Distrito Federal (SECOVI/DF) promoveu um almoço de confraternização para…

VENDA DE IMÓVEIS EM JANEIRO DE 2022 DOBRA EM RELAÇÃO À 2021

O Volume Geral de Vendas (VGV) acumulado até o mês de janeiro, no Distrito Federal, atingiu o valor de R $3,16 bilhões, superando o mês…