BOLETIM IMOBILIÁRIO MOSTRA ESTABILIDADE NO MERCADO DE IMÓVEIS DO DF

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) divulgou o Boletim de Conjuntura Imobiliária, referente ao mês de fevereiro. Vale ressaltar, que muitos dos movimentos observados em janeiro foram mantidos no mês nalisado.Como or exemplo, os maiores valores que foram encontrados em Brasília. Já os menores valores, ainda como na última amostra, distribuem-se entre Sobradinho, Samambaia, Ceilândia, Taguatinga e Gama, variando de acordo com o perfil do imóvel a ser analisado.

No mês de fevereiro, a participação de imóveis residenciais permaneceu praticamente estável de 92,5% da amostra e de 7,5% de imóveis comerciais. A menor oferta foi de lofts e a maior, a de apartamentos com 2 dormitórios.

Assim como no último mês, os preços mais altos foram observados em Brasília, em qualquer perfil de imóvel. O maior preço mediano registrado foi o de casas com 4 dormitórios, atingindo o valor de aproximadamente 2 milhões de reais para comercialização. Seguindo o movimento de janeiro, os valores medianos mais baixos foram encontrados nos apartamentos de 1 dormitório em Sobradinho e nas casas com 2 dormitórios no Paranoá de R$ 110 mil e R$ 140 mil, respectivamente.

 

Quanto aos imóveis comerciais à venda, os maiores valores observados foram encontrados no Setor de Indústria e Abastecimento, variando de acordo com o perfil. O preço mediano por m2 das lojas da região foi de R$ 12 mil. Já para as salas comerciais, o maior valor encontrado foi em Brasília de R$ 10 mil/m2, aproximadamente.

Para locação, a distribuição da amostra entre imóveis residenciais e comerciais se manteve praticamente estável, com os residenciais representando 69,9% da amostra e os  comerciais 30,1%. A maior participação foi de quitinetes, de 17,14% do total.

Os maiores valores de aluguel foram encontrados em Brasília, uma locação de uma casa de 4 dormitórios no Lago Sul, não sai por menos de R$ 11 mil. Para os imóveis comerciais dentro de Brasília, os maiores valores foram encontrados nas lojas do Lago Sul com aluguel de R$ 5.600 e nas salas comercias da Asa Norte, de R$ 1.850.

De acordo com a pesquisa, o panorama de rentabilidade relacionada aos imóveis residenciais, verificou-se que os maiores índices permanecem na região de Águas Claras com 0,47% para quitinetes e 0,46% para apartamentos de um dormitório. Os imóveis comerciais, também se destacaram na região atingindo valores de 0,58% e 0,56% para lojas e salas comerciais, respectivamente. O destaque foi em Brasília que obteve crescimento no quesito loja, comparado ao mês anterior, alcançando o valor de 0,55% de rentabilidade.

Baixe o boletim

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Empresas Associadas ao SECOVI/DF terão direito à Clínica de Saúde Popular

A Fecomércio-DF divulgou, nesta semana, que daqui há 2 meses será inaugurada uma clínica de saúde com preços populares para atender as empresas da base…

LIVE – Revitalização do SCS (Dia 01/10 – 10h)

Há anos o Setor Comercial Sul (SCS) pede mais atenção de Brasília. Estamos ansiosos pela revitalização da região e queremos contribuir para que essa nova…

DADOS COMPROVAM A CONTÍNUA ALTA DO SETOR IMOBILIÁRIO

Os números do setor imobiliário divulgados pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) no Boletim de Conjuntura de setembro com amostra referente à agosto…

Projeto de revitalização do Gama é aprovado

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) participou, ativamente, da aprovação do projeto de revitalização do Gama no Conselho de Planejamento Territorial e Urbano…