Banco do Brasil eleva taxa de juros para o crédito imobiliário

  • 8 de maio de 2015

Uma semana depois da Caixa Econômica Federal, é a vez do Banco do Brasil deixar mais caro o financiamento para quem vai comprar a casa própria. Com a medida, a taxa de juros máxima será elevada de 9,9% ao ano, mais a TR, para 10,4%, também acrescida da variação da TR. A entrada mínima foi mantida em 20% e o prazo máximo de financiamento foi elevado de 360 meses (30 anos) para 420 meses (35 anos). As mudanças vão entrar em vigor a partir do próximo dia 18.  O Banco do Brasil também aumentou, na mesma proporção, os financiamentos feitos na carteira hipotecária, que incluem imóveis entre R$ 750 e R$ 10 milhões. As taxas para as demais linhas foram mantidas. Em nota, o banco informou que o aumento dos juros foi necessário para compensar os maiores custos de captação. Na avaliação do presidente do Secovi-DF, Carlos Hiram Bentes David,  a iniciativa do Banco do Brasil já era esperada e vão gerar um efeito cascata. “As  mudanças promovidas pela Caixa abriram espaço para os demais bancos reajustarem suas taxas. Na prática, quem não tiver disponíveis os 50% de entrada exigidos pela Caixa, terá que buscar outras instituições bancárias”, constatou.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REGIÕES DO DF TÊM VALORES DIFERENCIADOS DO METRO QUADRADO PARA IMÓVEIS USADOS

O Boletim de Conjuntura Imobiliária, referente ao mês de fevereiro, divulgado pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) aponta que um apartamento de 1…

FEVEREIRO REGISTRA RECORDE DE 3.8 BILHÕES EM VENDAS DE IMÓVEIS

Em 2022, o Volume Geral de Vendas (VGV) de imóveis acumulado até o mês de fevereiro, no Distrito Federal, atingiu o valor de R$ 7,03…

SECOVI/DF CELEBRA POSSE DA NOVA DIRETORIA

O Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais do Distrito Federal (SECOVI/DF) promoveu um almoço de confraternização para…

VENDA DE IMÓVEIS EM JANEIRO DE 2022 DOBRA EM RELAÇÃO À 2021

O Volume Geral de Vendas (VGV) acumulado até o mês de janeiro, no Distrito Federal, atingiu o valor de R $3,16 bilhões, superando o mês…