Aumento do crédito imobiliário

  • 4 de julho de 2014

Por Miguel Setembrino Emery de Carvalho

Segundo dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) o crédito imobiliário continua a crescer. Nos primeiros quatro meses deste ano, foram financiados com recursos da poupança R$ 34 bilhões, aumento de 20% se comparado com o mesmo período do ano passado.

Apesar do avanço, em relação ao último quadrimestre os empréstimos tiveram uma pequena desaceleração. Mesmo assim, a previsão é que esse segmento crescerá em 15% este ano.

Como a poupança sofre uma concorrência com a taxa de juros básica (Selic), quando ela sobe a poupança fica menos atrativa, o que justifica números menores para o financiamento no início do ano. Porém, o número de operações realizadas com recursos da caderneta em abril fechou em 167.548, um avanço de 16,4% comparado com 2013.

Em 12 meses, o volume de empréstimos para aquisição e construção de imóveis, com recursos das cadernetas de poupança no Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) foi de R$ 114,9 bilhões, 30% mais do que o apurado nos 12 meses precedentes. O total de imóveis financiados durante esse período foi 553 mil, 20% acima das 459 mil unidades contratadas nos 12 meses anteriores. No entanto, acreditam especialistas, o financiamento imobiliário se manterá mais ponderado este ano, com possibilidade de melhorar em 2015.

Segundo analistas, as instituições financeiras não estão preocupadas em manter competitividade entre si em relação as taxas para o financiamento de imóveis, portanto a tendência é que elas continuem a aumentar. Em abril as taxas praticadas pelo mercado foram de 15,7%, aumento de 3,5 pontos percentuais em 12 meses, enquanto as taxas reguladas fecharam o quarto mês em 8%, alta de 0,9 ponto percentual comparado com abril de 2013.

Dados da Abecip mostram que o saldo dos depósitos de poupança no SBPE superaram os R$ 480 bilhões, em abril deste ano, com elevação de 19% em relação ao saldo de abril do ano passado, porém as cadernetas interromperam no quarto mês uma sequência de 25 meses de captação líquida positiva, com os saques superando os depósitos em R$ 736 milhões. Mas apesar do resultado de abril, a captação líquida foi positiva em 3,6 bilhões no primeiro quadrimestre deste ano.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REGIÕES DO DF TÊM VALORES DIFERENCIADOS DO METRO QUADRADO PARA IMÓVEIS USADOS

O Boletim de Conjuntura Imobiliária, referente ao mês de fevereiro, divulgado pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) aponta que um apartamento de 1…

FEVEREIRO REGISTRA RECORDE DE 3.8 BILHÕES EM VENDAS DE IMÓVEIS

Em 2022, o Volume Geral de Vendas (VGV) de imóveis acumulado até o mês de fevereiro, no Distrito Federal, atingiu o valor de R$ 7,03…

SECOVI/DF CELEBRA POSSE DA NOVA DIRETORIA

O Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais do Distrito Federal (SECOVI/DF) promoveu um almoço de confraternização para…

VENDA DE IMÓVEIS EM JANEIRO DE 2022 DOBRA EM RELAÇÃO À 2021

O Volume Geral de Vendas (VGV) acumulado até o mês de janeiro, no Distrito Federal, atingiu o valor de R $3,16 bilhões, superando o mês…