Após queda de juros nos empréstimos imobiliários, Caixa anuncia benefícios para clientes de menor risco

  • 6 de fevereiro de 2017

Em novembro do ano passado, a Caixa Econômica Federal anunciou a redução da taxa de juros praticada para os empréstimos imobiliários para novos contratos, após a queda de 0,25% da Selic (taxa básica de juros), e também a diminuição da cota mínima de financiamento dentro do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE).

As taxas de juros passaram de 11,22% ao ano para 9,75%, no caso de imóveis dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), e de 12,5% para 10,75% ao ano, para imóveis enquadrados no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI).

Além da redução de juros, a Caixa promoveu melhoria de condições no financiamento de imóveis para pessoa física. O limite mínimo de financiamento no SBPE passou de R$ 100 mil para R$ 80 mil. A medida busca atender o mercado de unidades habitacionais nessas faixas e vale para imóveis novos e usados, dentro do SFH e SFI.

Clientes de menor risco

Com o objetivo de contribuir para alavancagem de vendas de imóveis e incentivar o setor, a Caixa voltou a anunciar medidas para atrair novos clientes na semana passada. Ainda neste primeiro semestre, o Banco pretende oferecer taxas menores no crédito imobiliário para clientes considerados de menor risco, como os que derem uma entrada maior ou tomarem empréstimos de prazo mais curto.

De acordo com o vice-presidente de Habitação do banco estatal, Nelson Antonio de Souza, a medida seria uma espécie de cadastro positivo, ou seja, quem oferecer níveis de risco menores poderá ter juros mais baixos. Souza informou ainda que a Caixa não deve realizar novos cortes nos juros para o crédito imobiliário nos próximos meses, mesmo com a esperada queda da taxa Selic. Um outro instrumento de captação de recursos para o setor em 2017, segundo o vice-presidente, é a entrada em vigor das Letras Imobiliárias Garantidas (LIG).

Na última semana de janeiro, a Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) informou que os empréstimos concedidos pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) no ano passado para compra e construção de imóveis caíram 38,3% ante 2015, para o menor nível desde 2009, refletindo a demanda debilitada por juros altos e o desemprego.

Com informações do G1

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REGIÕES DO DF TÊM VALORES DIFERENCIADOS DO METRO QUADRADO PARA IMÓVEIS USADOS

O Boletim de Conjuntura Imobiliária, referente ao mês de fevereiro, divulgado pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) aponta que um apartamento de 1…

FEVEREIRO REGISTRA RECORDE DE 3.8 BILHÕES EM VENDAS DE IMÓVEIS

Em 2022, o Volume Geral de Vendas (VGV) de imóveis acumulado até o mês de fevereiro, no Distrito Federal, atingiu o valor de R$ 7,03…

SECOVI/DF CELEBRA POSSE DA NOVA DIRETORIA

O Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais do Distrito Federal (SECOVI/DF) promoveu um almoço de confraternização para…

VENDA DE IMÓVEIS EM JANEIRO DE 2022 DOBRA EM RELAÇÃO À 2021

O Volume Geral de Vendas (VGV) acumulado até o mês de janeiro, no Distrito Federal, atingiu o valor de R $3,16 bilhões, superando o mês…