ALTA NO MERCADO IMOBILIÁRIO BRASILEIRO

  • 20 de janeiro de 2012
Estudo divulgado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, FIPE, mostra que o preço dos imóveis em São Paulo e Rio de Janeiro está em alta: um apartamento de 80 m² no Leblon é mais caro que um equivalente em Paris, em frente a Torre Eiffel.

Segundo a Fipe, o custo médio do aluguel residencial subiu 21,45% no último ano, só no Rio de Janeiro. Foi o maior aumento registrado no país. Em 2011, o metro quadrado na cidade  teve um aumento de 34,9%. O Leblon é atualmente o bairro mais charmoso do Rio, reúne os melhores bares e restaurantes, tem comércio sofisticado e é vizinho a Ipanema e à Lagoa Rodrigo de Freitas. Para morar na região, o interessado vai ter que desembolsar R$ 1.372.480 em um imóvel de dois dormitórios.

Em Paris, Cidade Luz, referência de moda e estilo e que abriga o famoso Museu do Louvre, morar ao lado da Torre Eiffel custa R$ 1.200.000 para o mesmo tipo de apartamento.

Abaixo de um milhão, está São Paulo, coração da economia nacional. Um imóvel de dois quartos e sala no Jardim Paulistano custa R$ 766.800.

Brasília, não fica atrás. Um apartamento no mesmo estilo, em área nobre da capital federal, não sai por menos de  R$ 619.670.

Já em Buenos Aires, a cidade mais europeia da América do Sul, 80 metros quadrados de moradia em um bairro sofisticado saem por R$ 335.782.

Para morar em Londres em um apartamento de dois quatros e sala é necessário desembolsar R$ 2.193.000.

Em Nova York, capital do mundo, dois quartos em 80 metros quadrados no Upper East Side custa, em média, a mesma coisa que no Leblon: R$ 1.572.060.

Porém, o presidente do Sindicato da Habitação do Distrito Federal, Carlos Hiram Bentes David, explica que os preços já estão se estabilizando. “ O importante é que o mercado se autorregula. Primeiro acontece um boom, depois a demanda vai diminuindo e, naturalmente, os preços vão se adequando”, afirma.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

REGIÕES DO DF TÊM VALORES DIFERENCIADOS DO METRO QUADRADO PARA IMÓVEIS USADOS

O Boletim de Conjuntura Imobiliária, referente ao mês de fevereiro, divulgado pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) aponta que um apartamento de 1…

FEVEREIRO REGISTRA RECORDE DE 3.8 BILHÕES EM VENDAS DE IMÓVEIS

Em 2022, o Volume Geral de Vendas (VGV) de imóveis acumulado até o mês de fevereiro, no Distrito Federal, atingiu o valor de R$ 7,03…

SECOVI/DF CELEBRA POSSE DA NOVA DIRETORIA

O Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais do Distrito Federal (SECOVI/DF) promoveu um almoço de confraternização para…

VENDA DE IMÓVEIS EM JANEIRO DE 2022 DOBRA EM RELAÇÃO À 2021

O Volume Geral de Vendas (VGV) acumulado até o mês de janeiro, no Distrito Federal, atingiu o valor de R $3,16 bilhões, superando o mês…