Índice que reajusta aluguéis fica estável na primeira prévia de janeiro

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), conhecido como inflação do aluguel, porque reajusta a maioria dos contratos imobiliários, teve variação negativa de – 0,01% na primeira prévia de janeiro. No mesmo período do ano anterior, o indicador ficou em 0,04%.
 
O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA)  integrante do cálculo do IGP-M,  variou    -0,23%, contra -0,16% no mesmo período de dezembro. Também usado no cálculo do IGP-M, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação de 0,56%. No mesmo período do mês anterior, a taxa ficou em 0,33%.
 
Das sete classes de despesa, três apresentaram aceleração de alta nos preços, com destaque para alimentação (de 0,20% para 1,33%). Foi verificado comportamento semelhante nos grupos transportes (de 0,26% para 0,33%), saúde e cuidados pessoais (de 0,41% para 0,47%), com destaque para tarifa de táxi (de 0,00% para 3,41%) e medicamentos em geral (de -0,39% para -0,02%).
 
Na contramão, tiveram desaceleração das taxas de variação os grupos de despesas com habitação (de 0,35% para 0,14%), despesas diversas (de 0,46% para -0,03%), vestuário (de 0,99% para 0,75%),educação, leitura e recreação (de 0,25% para 0,07%). As maiores influências partiram da tarifa de eletricidade residencial (de 0,92% para 0,05%), cerveja (de 3,08% para 0,02%), roupas (de 1,19% para 0,95%) e passagem aérea (de 9,56% para -8,44%).

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) ficou em 0,10%, contra 0,71% no mesmo período de dezembro. O índice relativo a materiais, equipamentos e serviços registrou variação de 0,19%, ante alta de 0,23%. O índice que representa o custo da mão de obra ficou estável em 1,19%.
 
Fonte: G1

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Sindicato da Habitação do DF assina acordo com entidade dos trabalhadores para manter empregos no setor

Com o objetivo de minimizar o avanço do novo coronavírus e tentar diminuir os impactos negativos no setor, além de visar a segurança jurídica do…

Secovi-DF orienta imobiliárias sobre o retorno às atividades

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) alerta os empresários do setor imobiliário sobre as medidas que devem ser adotadas nessa volta ao trabalho…

GUIA PRÁTICO DO CORRETOR DE IMÓVEIS DURANTE A PANDEMIA

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) divulga o “Guia Prático do Corretor de Imóveis” com ferramentas e formas de ajudar a todos do…

CAIXA amplia medidas para o mercado imobiliário durante pandemia

A Caixa Econômica Federal anunciou novas medidas de proteção e estímulo ao setor imobiliário injetando cerca de R$ 43 bilhões de recursos na economia que…