SECOVI SOLICITA FISCALIZAÇÃO AO CRECI

O Sindicato das Empresas de Compra,Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais do Distrito Federal – SECOVI//DF- solicitou ao Conselho Regional dos Corretores de Imóveis da 8ª Região/DF uma maior fiscalização junto aos profissionais que anunciam seus imóveis para venda e locação no Distrito Federal.

Segundo o Sindicato, a publicação de anúncios de oferta de imóveis em diversos veículos de comunicação vem desrespeitando as resoluções do Conselho Federal de Corretores de Imóveis. “A expressão IMÓVEIS após o nome do anunciante é prática usual entre as empresas do setor, mas o que vem sendo observado é que corretores autônomos passaram a utilizar essa mesma expressão. Por se tratar de “pessoas físicas”, tal procedimento gera incertezas e descrédito ao mercado trazendo prejuízos à imagem das imobiliárias regularmente habilitadas”, afirma Robson Moll – Diretor Secretário do SECOVI/DF.

O SECOVI sugeriu que sejam feitas campanhas educativas e informativas nos veículos de comunicação onde são publicados os anúncios imobiliários.

O CRECI informou que será criada uma Comissão Especial para fiscalizar o problema.

 

 

{backbutton}

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Sindicato da Habitação do DF assina acordo com entidade dos trabalhadores para manter empregos no setor

Com o objetivo de minimizar o avanço do novo coronavírus e tentar diminuir os impactos negativos no setor, além de visar a segurança jurídica do…

Secovi-DF orienta imobiliárias sobre o retorno às atividades

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) alerta os empresários do setor imobiliário sobre as medidas que devem ser adotadas nessa volta ao trabalho…

GUIA PRÁTICO DO CORRETOR DE IMÓVEIS DURANTE A PANDEMIA

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) divulga o “Guia Prático do Corretor de Imóveis” com ferramentas e formas de ajudar a todos do…

CAIXA amplia medidas para o mercado imobiliário durante pandemia

A Caixa Econômica Federal anunciou novas medidas de proteção e estímulo ao setor imobiliário injetando cerca de R$ 43 bilhões de recursos na economia que…