Programa prevê imóvel registrado em nome da mulher

Programa prevê imóvel registrado em nome da mulher.

O programa de habitação do governo, “Minha casa, minha vida”, prevê que o imóvel financiado seja registrado preferencialmente em nome da mulher.  Segundo a Caixa Econômica Federal, a regra vale para famílias que ganham até três salários mínimos.

Quando o financiamento sair, o contrato e o registro do imóvel serão feitos preferencialmente no nome da mulher, mesmo que ela não tenha renda ou que não seja legalmente casada..

O superintendente da Caixa Econômica diz que o objetivo é manter a maior parte da família na casa. “A mulher, no caso de uma separação de uma união não estável, é a responsável pelo tratamento dos filhos, da educação, enfim, da manutenção desse núcleo familiar”, afirmou Valter Nunes, superintendente da Caixa Econômica Federal. 

“Para quem ganha até três salários mínimos, há um subsídio muito alto do governo federal e não é necessário a comprovação de renda, por isso a mulher pode aparecer sozinha nesse contrato”, explica o superintendente da Caixa.

Em São Paulo, os programas de financiamento tanto da prefeitura como do estado já dão preferência para colocar o imóvel no nome da mulher. Só em São Paulo, mais de 93 mil pessoas já se inscreveram este mês.

Fonte: JN

 

 

{backbutton}

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Secovi-DF recebe representantes da SEDUH e Terracap

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) recebeu o Subsecretário de Parcelamento e Regularização Fundiária da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Habitação…

Conheça os números do mercado imobiliário com o Secovi-DF

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) que representa as empresas de compra e venda de imóveis, as imobiliárias, as administradoras de imóveis e…

Secovi-DF assina Convenções Coletivas de Trabalho

O Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais do Distrito Federal (SECOVI/DF) assinou a Convenção Coletiva de Trabalho…

Contribuição Assistencial é essencial para os Sindicatos

A Reforma Trabalhista aprovada, em 2017, extinguiu a contribuição sindical obrigatória e a tornou opcional afetando o funcionamento de diversos Sindicatos e Federações do país.…