Mercado imobiliário de Brasília segue em alta

Na capital, média de preços de apartamentos com dois dormitórios é de R$ 560 mil
 
Brasília – Em Brasília, apartamentos com dois dormitórios foram comercializados à razão média de R$ 560 mil, enquanto para unidades com três dormitórios o valor médio ficou em R$ 860 mil. Os dados constam no Boletim de Conjuntura Imobiliária referente ao mês de maio, divulgado (30, junho) pelo Sindicato da Habitação no Distrito Federal (Secovi-DF), e elaborado pela Econsult – empresa júnior do departamento de Economia da Universidade de Brasília.

Em Águas Claras, Cruzeiro e Guará, nessa ordem, o valor de apartamentos com dois e três dormitórios foram os que, em maio (2011), mais se aproximaram da média de preço da capital federal. Bem diferente foi o panorama registrado em Ceilândia, Núcleo Bandeirante e Samambaia, onde em maio foi possível comprar um apartamento com três dormitórios por R$ 200 mil, em média.

Em relação às casas, o preço oscila consideravelmente, dependendo, entre outras variáveis, da localização e também da quantidade de condomínios existentes, de acordo com o boletim. Por exemplo, uma casa unifamiliar com quatro ou mais dormitórios custa em Brasília R$ 2 milhões, enquanto, se localizada em condomínio na cidade, o preço é de R$ 1 milhão.

Para os imóveis comerciais, o m2 mais caro, para compra, foi verificado pela Econsult na Asa Norte, em Brasília: média de R$ 10 mil. Entre imóveis residenciais e comerciais, a amostra analisou 18.062 imóveis destinados à comercialização em Brasília, durante o mês de maio (2011).

Locação

Também o segmento de locação apresentou elevação em maio, segundo o boletim. Em Taguatinga, apartamento com dois dormitórios foi alugado em maio por R$ 838, e por R$ 875 as unidades com três dormitórios, em média.

Quanto à locação de imóveis comerciais em Brasília, em maio o mais caro aluguel de lojas foi apurado na Asa Sul, onde a média apontou para R$ 7 mil. Na Asa Norte, salas comerciais foram ofertadas pelo aluguel médio de R$ 2 mil.

Ainda, o Índice de Rentabilidade Imobiliário, que mede o rendimento obtido por meio da locação de imóveis nas diferentes cidades do Distrito Federal, identificou que em maio Águas Claras se manteve como a cidade mais rentável.

Em Águas Claras, exemplifica o boletim, tomando por base R$ 174 mil para o preço de comercialização de um apartamento com um dormitório, o investidor teria um rendimento de mais de R$ 9 mil reais.

O Boletim de Conjuntura Imobiliária do Secovi-DF com os resultados para maio traz uma série histórica, cobrindo de dezembro a maio, com o objetivo de contextualizar os dados e permitir visualizar a trajetória do mercado imobiliário brasiliense.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Sindicato da Habitação do DF assina acordo com entidade dos trabalhadores para manter empregos no setor

Com o objetivo de minimizar o avanço do novo coronavírus e tentar diminuir os impactos negativos no setor, além de visar a segurança jurídica do…

Secovi-DF orienta imobiliárias sobre o retorno às atividades

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) alerta os empresários do setor imobiliário sobre as medidas que devem ser adotadas nessa volta ao trabalho…

GUIA PRÁTICO DO CORRETOR DE IMÓVEIS DURANTE A PANDEMIA

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) divulga o “Guia Prático do Corretor de Imóveis” com ferramentas e formas de ajudar a todos do…

CAIXA amplia medidas para o mercado imobiliário durante pandemia

A Caixa Econômica Federal anunciou novas medidas de proteção e estímulo ao setor imobiliário injetando cerca de R$ 43 bilhões de recursos na economia que…