Mercado corporativo tem apenas 1% vago no Rio e migra para a Barra

Felipe Frisch

Empresas em busca de novos endereços no Rio encontram uma grande dificuldade.
Simplesmente não existem na cidade edifícios de alto padrão, também chamados de “A+” ou de “triple A”, termo importado do inglês. São os chamados edifícios inteligentes. Como requisitos mínimos, têm segurança e acesso modernos, pavimentos eficientes (com a área útil livre para as empresas), refrigeração central controlada por andar, rede de dados e telefonia, além de uma vaga de garagem por cada 30 metros quadrados de empresa.
Essa conclusão faz parte dos últimos balanços de consultorias especializadas, com base nos números do primeiro semestre e nas perspectivas do mercado imobiliário corporativo no Rio.
Segundo a canadense Colliers International, o edifício mais próximo do alto padrão seria o Torre Almirante, na Avenida Almirante Barroso, no Centro, ocupado pela Petrobras.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Sindicato da Habitação do DF assina acordo com entidade dos trabalhadores para manter empregos no setor

Com o objetivo de minimizar o avanço do novo coronavírus e tentar diminuir os impactos negativos no setor, além de visar a segurança jurídica do…

Secovi-DF orienta imobiliárias sobre o retorno às atividades

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) alerta os empresários do setor imobiliário sobre as medidas que devem ser adotadas nessa volta ao trabalho…

GUIA PRÁTICO DO CORRETOR DE IMÓVEIS DURANTE A PANDEMIA

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) divulga o “Guia Prático do Corretor de Imóveis” com ferramentas e formas de ajudar a todos do…

CAIXA amplia medidas para o mercado imobiliário durante pandemia

A Caixa Econômica Federal anunciou novas medidas de proteção e estímulo ao setor imobiliário injetando cerca de R$ 43 bilhões de recursos na economia que…