Índice que reajusta aluguel tem deflação de 0,52% na 1ª prévia de maio

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) caiu 0,52% na primeira leitura de maio, praticamente a mesma queda de igual período de abril, que foi de 0,53%, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV), nesta segunda-feira.

Entre os componentes do IGP-M, o Índice de Preços por Atacado (IPA) teve baixa de 0,78% na abertura deste mês, depois de cair 0,94% na leitura inicial do mês passado.

O IPA agrícola acelerou a retração, para 0,32% na primeira prévia de maio, ante baixa de 0,16% na primeira de abril. Já o IPA industrial recuou em ritmo menor, em 0,93% ante 1,19%.

As principais quedas individuais de preços no atacado foram de laranja, ovos, adubos e fertilizantes compostos, mandioca e mamão.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) teve alta de 0,15% na abertura de maio, abaixo do avanço anterior de 0,42%.

Os custos do grupo Alimentação voltaram a cair, em 0,35%, após subirem 0,68% na primeira prévia de abril. Já os preços de Saúde e cuidados pessoais e Despesas diversas aceleraram a alta, refletindo, respectivamente, reajuste de remédios e cigarros.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) caiu 0,36%, ante variação negativa anterior de 0,08%.

As principais quedas individuais de preços na construção foram de vergalhões e arames de aço ao carbono, cimento portland comum, tubos e conexões de ferro e aço, metais para instalações hidráulicas e tijolo/telha cerâmica.

Fonte: Reuters

 

{backbutton}

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ÁGUAS CLARAS, A MANHATTAN DO CERRADO!

A mudança da sede do Governo do Distrito Federal (GDF) para o Centro Administrativo que engloba Águas Claras, Taguatinga, Ceilândia e Samambaia irá movimentar o…

STJ entende que bem familiar pode ser penhorado em garantia fiduciária

A legislação não permite que um imóvel caracterizado como bem de família seja penhorado como garantia fiduciária. Porém, a Terceira Turma do Superior Tribunal de…

Fecomércio firma parceria com o BRB para oferecer benefícios aos sindicatos

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio-DF) firmou, esta semana, uma parceria com o Banco de Brasília (BRB) para…

MERCADO IMOBILIÁRIO DO DF DÁ SINAIS DE RECUPERAÇÃO

Nos últimos 10 anos, o mercado de imóveis novos do DF teve altos e baixos. Os anos de 2009 a 2011 foram os melhores em…