Brasil comercializou 472 bi em imóveis no período de 1 ano

Os cartórios brasileiros registraram até o mês de maio 945.273 escrituras de transações imobiliárias, referentes a um período de 12 meses. Em valores, as operações corresponderam a R$ 472.625.261.137,83.

Os dados foram fornecidos pelos cartórios do país à Central Notarial de Serviços Eletrônicos Compartilhados (Censec) e se referem a imóveis residenciais, comerciais, além de áreas rurais, terrenos e galpões.

A Censec é gerida pelo Colégio Notarial do Brasil (CNB) – Conselho Federal – mas é administrada e sediada no CNB/São Paulo. O CNB é a entidade que representa a atividade de cartórios brasileiros. Ela foi criada pela Corregedoria Nacional de Justiça, órgão vinculado ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) , que obrigou todos os cartórios a informar, quinzenalmente, os atos praticados nos tabelionatos, inclusive a escritura pública de compra e venda de imóveis.

Em Brasília, a Associação dos Notários e Registradores do Distrito Federal – ANOREG/DF – que representa os tabeliães e os oficiais de registro de imóveis divulgou que em maio de 2018 foram lavradas 1.536 escrituras no DF totalizando, aproximadamente, 559 milhões de reais. Os números são semelhantes aos do mesmo período do ano passado em que foi comercializado cerca de 548 milhões de reais de um total de 1.693 escrituras lavradas.

Segundo o presidente da ANOREG/DF, Allan Guerra, apesar dos dados não refletirem, exatamente, o resultado de um período de 12 meses porque as pessoas só fazem o registro da compra do imóvel quando é feita a transação, atrasando, desta maneira, o registro. “Ainda assim, a nossa percepção é de uma manutenção dos números, ou seja, de uma estabilização do mercado”, afirma.

Com agências