BOLETIM IMOBILIÁRIO MOSTRA TENDÊNCIA DE ALTA NO MERCADO

O boletim de Conjuntura Imobiliária divulgado pelo Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF), referente ao mês de abril, traz Brasília como a cidade com os imóveis mais valorizados, o metro quadrado na cidade não sai por menos de R$ 7.500. O estudo conclui que em todo o Distrito Federal os valores dos imóveis continuam crescendo, o que demonstra uma tendência de alta no mercado.

Essa tendência é nitidamente verificada pela constante valorização do Guará. Segundo o presidente do SECOVI/DF, Carlos Hiram Bentes David, isto se deve à modernização da cidade com vários lançamentos previstos.

De acordo com o boletim, um apartamento de três dormitórios na região não sai por menos de R$ 440 mil.

Também segundo a pesquisa, o Sudoeste apresenta os valores mais homogêneos e em constante valorização, com o metro quadrado em torno dos R$ 8.000.

Vale ressaltar, a valorização dos imóveis comerciais. O valor do metro quadrado de lojas e salas comerciais em Brasília e Águas Claras varia de 6 a 9 mil reais.

O boletim traz também a oferta de imóveis para locação (20% da amostra). Segundo os dados, as quitinetes continuam sendo bastante relevantes para o mercado imobiliário. O aluguel de uma “kit” em Águas Claras está em torno dos R$ 700,00, já em Brasília não se aluga por menos de R$ 940,00, dependendo do bairro. A Asa Sul é a detentora dos valores mais expressivos, seguida dos imóveis do Lago Norte, que revelaram ter os preços do metro quadrado mais valorizados para quitinetes e apartamentos com 1 e 2 dormitórios.

Em relação à imóveis comerciais para aluguel, Águas Claras continuou apresentando o metro quadrado de loja mais caro. Brasília ficou com o metro quadrado mais caro no que se refere às salas comerciais. Em relação aos bairros de Brasília, a Asa Sul apresenta os mais caros aluguéis por metro quadrado, porém, a  Asa Norte e o Lago Sul superam, em valores medianos, o preço dos aluguéis de lojas e salas comerciais. O aluguel de uma loja na Asa Norte é de R$ 3.000 e de uma sala no Lago Sul sai por R$ 1.800.

O boletim de abril faz um balanço dos quatro primeiros meses do ano e conclui que Águas Claras teve uma sequência de leves aumentos nos preços por metro quadrado dos apartamentos de 2 e 3 dormitórios ofertados. No entanto, as quitinetes ainda representam o maior valor por metro quadrado nessa cidade. O mesmo ocorre no Guará, localidade com as maiores oscilações, onde o preço das quitinetes, após sofrer queda em fevereiro, volta ter o valor mais expressivo da cidade, atingindo cerca de R$6.000 o metro quadrado para comercialização.

Nesses primeiros meses do ano, o mercado de Brasília tem se mostrado estável em relação aos preços mas sempre com a tendência de alta e, a conseqüente,  valorização dos imóveis na capital.  

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Sindicato da Habitação do DF assina acordo com entidade dos trabalhadores para manter empregos no setor

Com o objetivo de minimizar o avanço do novo coronavírus e tentar diminuir os impactos negativos no setor, além de visar a segurança jurídica do…

Secovi-DF orienta imobiliárias sobre o retorno às atividades

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) alerta os empresários do setor imobiliário sobre as medidas que devem ser adotadas nessa volta ao trabalho…

GUIA PRÁTICO DO CORRETOR DE IMÓVEIS DURANTE A PANDEMIA

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) divulga o “Guia Prático do Corretor de Imóveis” com ferramentas e formas de ajudar a todos do…

CAIXA amplia medidas para o mercado imobiliário durante pandemia

A Caixa Econômica Federal anunciou novas medidas de proteção e estímulo ao setor imobiliário injetando cerca de R$ 43 bilhões de recursos na economia que…