Aluguel sobe na segunda prévia de junho e atinge 1,06%

A segunda-prévia de junho do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) ficou em 1,06%, acima do 0,95% do mesmo período de coleta de preços de maio. O período de apuração compreende os dias 21 de maio e 10 de junho.

Dados divulgados pela Fundação Getulio Vargas (FGV), mostram que o Índice de Preços ao Produtor (IPA), um dos três componentes do IGP-M, teve alta de 1,37% no período, ante 1,19% em maio. Os preços dos bens finais fecharam em -0,49%, com contribuição significativa dos alimentos processados, com queda de 2,50%.


No grupo bens intermediários, a alta passou de 0,70% para 0,88%, influenciada pelo comportamento do subgrupo materiais e componentes para manufatura, cuja taxa passou de 0,51% para 0,87%. Os preços de matérias- primas brutas subiram 4,75%, ante 3,92% do período anterior.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) teve deflação de 0,20%, ante 0,45% no mesmo período de maio. Cinco dos sete grupos que compõem o índice registraram desaceleração, com destaque para alimentação: a taxa caiu de 0,56% para -1,49%.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) teve alta de 2,09% ante 0,66% em igual período de maio.

Fonte: Correioweb/lugar certo

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Sindicato da Habitação do DF assina acordo com entidade dos trabalhadores para manter empregos no setor

Com o objetivo de minimizar o avanço do novo coronavírus e tentar diminuir os impactos negativos no setor, além de visar a segurança jurídica do…

Secovi-DF orienta imobiliárias sobre o retorno às atividades

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) alerta os empresários do setor imobiliário sobre as medidas que devem ser adotadas nessa volta ao trabalho…

GUIA PRÁTICO DO CORRETOR DE IMÓVEIS DURANTE A PANDEMIA

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) divulga o “Guia Prático do Corretor de Imóveis” com ferramentas e formas de ajudar a todos do…

CAIXA amplia medidas para o mercado imobiliário durante pandemia

A Caixa Econômica Federal anunciou novas medidas de proteção e estímulo ao setor imobiliário injetando cerca de R$ 43 bilhões de recursos na economia que…