Aluguel poderá subir este mês

O Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M), usado para corrigir os contratos de aluguel, registrou queda de 0,18% em junho. Todos os indicadores que compõem o índice apontaram recuo, reflexo do desaquecimento da economia internacional e do menor ritmo da demanda no país. Porém, no acumulado do ano, o IGP-M teve alta de 3,15%. Em 12 meses, a variação é de 8,65%, portanto, o índice servirá de referência para a correção dos contratos com vencimento neste mês.
 
A taxa ficou dentro das estimativas dos analistas, que projetavam deflação entre 0,10% e 0,40%. Pelas contas da Fundação Getúlio Vargas, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-M), que responde por 60% do IGP-M, caiu 0,45%, depois de subir 0,03% em maio. Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-M) teve baixa de 0,12% ante alta de 0,90% no mês passado. 
O Índice Nacional de Custos da Construção (INCC-M), por sua vez, subiu 1,43% em junho, após elevação de 2,03% nos 30 dias anteriores. 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Sindicato da Habitação do DF assina acordo com entidade dos trabalhadores para manter empregos no setor

Com o objetivo de minimizar o avanço do novo coronavírus e tentar diminuir os impactos negativos no setor, além de visar a segurança jurídica do…

Secovi-DF orienta imobiliárias sobre o retorno às atividades

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) alerta os empresários do setor imobiliário sobre as medidas que devem ser adotadas nessa volta ao trabalho…

GUIA PRÁTICO DO CORRETOR DE IMÓVEIS DURANTE A PANDEMIA

O Sindicato da Habitação do Distrito Federal (SECOVI/DF) divulga o “Guia Prático do Corretor de Imóveis” com ferramentas e formas de ajudar a todos do…

CAIXA amplia medidas para o mercado imobiliário durante pandemia

A Caixa Econômica Federal anunciou novas medidas de proteção e estímulo ao setor imobiliário injetando cerca de R$ 43 bilhões de recursos na economia que…